Sobre caveiras e esqueletos

Na sexta feira Santa passei em frente de um grafitti bonito de um crânio. E achei que tinha tudo a ver com os mistérios da Páscoa. A ressureição de Cristo, o ato do desencarnar, o resíduo que já não é mais a pessoa, a transformação em si.

Mas é curioso que na nossa tradição o foco é totalmente naquele que se transformou e não naquilo que sobrou da antiga versão dele.

O novo Jesus é tão poderoso e diferente que a versão anterior dele some, não há restos mortais.

E aquele Cristo que some é um sujeito incrível, que inspira e inspirou muita gente. A humanidade de Cristo não é celebrada, e acho que deveria ser. Pois é nela que podemos de alguma maneira tornar nossa vida diferente. Quem transforma o mundo é o Cristo humano. Quem é generoso é o humano. Não vejo por que renegar o Cristo humano. Ele é a base de nossa moralidade e a inspiração para atitudes e comportamentos que fazem o mundo se tornar melhor.

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.