Uma vez eu li um interessante livro sobre redes sociais que falava algo mais ou menos nessa linha. Que não estamos num cenário à la Orwell 1984 pois hoje não existe um Big Brother, mas bilhões de Mini Brothers, cada um com sua lupa monitorando a vida do outro. Da mesma maneira seu raciocínio traz que não existiria um general por trás do que está acontecendo, mas múltiplos indivíduos isolados, cada um querendo predar mais do que o outro, sem uma visão colaborativa e sistêmica. Seria o estado selvagem, já que o princípio civilizatório vai justamente na direção oposta disto, em todos os aspectos.

Minha reflexão é sobre a estrutura organizada de desmonte do estado e das estruturas e instituições que dão base a ele. Não vejo como poderia o cidadão individualizado e isolado gerar este processo complexo e organizado que está acontecendo. Também me gera estranhamento o Método, muito diferente dos processos democráticos de debate, jogos de interesse, etc e muito mais parecidos com uma campanha militar. Daí surge esta grande interrogação que paira sobre minha cabeça, pois não vejo liderança clara, um mentor, mas sim um bando de peões…

pesquisador do comportamento humano, tendências e arte

pesquisador do comportamento humano, tendências e arte